Aulas começam a retornar de forma presencial em Fortaleza e região Norte; Sertão Central e Vale do Jaguaribe estão de fora

O novo decreto anunciado pelo governador Camilo Santana na última sexta-feira, 14, trouxe uma série se novidades para o povo cearense. A maior delas, porém, não diz respeito a uma constante flexibilização do isolamento social, mas sim a escolha pela regionalização da retomada econômica. Enquanto a grande Fortaleza e Sobral/região Norte seguem os novos pontos do decreto, as demais continuam com medidas mais restritivas. Veja alguns dos pontos destacados pelo decreto no que diz respeito a volta das aulas presenciais:

Estão autorizadas as aulas práticas do ensino superior e atividades extra-curriculares das escolas, como também os cursos de música, informática, idiomas, entre outros; é válido lembrar que desde o dia 12 de abril o Ceará passa, semanalmente, a flexibilizar o isolamento social, para a retomada da economia, e isso inclui o retorno as aulas, por tanto a modalidade já havia chegado no ensino básico, com o retorno as aulas presenciais em escolas particulares, do ensino fundamental até o 9º ano com capacidade reduzida e protocolos de higienização ativos. Agora é a vez de um retorno gradual do ensino superior.

Sertão Central e Vale do Jaguaribe regridem

Enquanto a região metropolitana e Norte do estado avançam, outras tem que adotar medidas mais sérias. A situação mais complicada é a do Sertão Central e região jaguaribana. Diversas cidades já adotaram lockdown em ambas as partes do estado. A taxa de transmissão do vírus nas vizinhas regiões foi a única em todo o estado a permanecer acima de 1,0, o que significa alerta altíssimo em todas as cidades da área. O descontrole de alguém gestores transformou as maiores cidades das regiões em vetores de disseminação no vírus, que se espalhou entre os demais municípios. Após os lockdowns espera-se a redução de casos e óbitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *